Universidade Nova de Lisboa

A Universidade Nova de Lisboa foi fundada a 11 de Agosto de 1973 e é a mais recente das três universidades estatais de Lisboa. Integrada numa estrutura de expansão e diversificação do ensino superior, a NOVA adotou, desde o início, um modelo estrutural considerado novo no contexto universitário português. Esta estrutura foi organizada de acordo com um modelo departamental e interdisciplinar, associado à Tecnologia, simultaneamente com as Ciências Sociais e Humanas e as Ciências Médicas.
A NOVA é uma Universidade descentralizada, o que significa que as suas Faculdades e Institutos gozam de um elevado grau de autonomia.  A NOVA conta atualmente com mais de 19.000 alunos inscritos, um total de 1.491 docentes, 804 funcionários e 225 investigadores.
A NOVA surge destacada nos principais rankings internacionais. Os resultados traduzem o trabalho desenvolvido pela NOVA enquanto instituição universitária com um ensino de excelência, capaz de assegurar elevados níveis de sucesso profissional aos seus estudantes.

NOVA Medical School (NMS|FCM)

A NOVA Medical School|Faculdade de Ciências Médicas (NMS|FCM) é uma unidade orgânica da Universidade NOVA de Lisboa (NOVA), desde 1977. Tem 1.679 alunos de pré-graduação (dos quais cerca 25% frequentam ou frequentaram Programas de Mobilidade Internacional) e 356 alunos de pós-graduação. Conta com 414 docentes e investigadores, dos quais 30% doutorados.
No ano letivo de 2015-2016 continuará a implementação do Novo Plano de Estudos, de começo gradual no 1º ano. O ensino clínico decorre em instituições de saúde, públicas e privadas, articuladas com a NMS|FCM através de protocolos homologados pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação e Ciência.
A NMS|FCM oferece um vasto leque de cursos e programas de pós-graduação e investigação, contando com um número significativo de grupos de excelência em biomedicina, investigação translacional, investigação clínica e epidemiologia e serviços.
A abertura do novo Pólo de Investigação do Campus de Santana, para além das melhorias às atividades pedagógicas (nova biblioteca e novo centro de treino em competências clínicas), veio dar um contributo muito importante para o desenvolvimento da investigação na Faculdade, em estreita colaboração com o Centro de Estudos de Doenças Crónicas (CEDOC) e o Centro de Toxicogenómica e Saúde Humana (ToxOmics).