porque é que a saúde sexual e reprodutiva é importante?

A Equipa de Responsabilidade Social encontra-se estruturada de forma a que os seus trabalhos sejam desenvolvidos no contexto de quatro focos de atuação definidos: a Saúde Pública, a Ação Social, o Desporto e a Saúde Sexual e Reprodutiva (SSR). Assim, a focalização na SSR pode justificar-se pelas suas seguintes características: é uma área de intervenção com relevo de destaque junto da população jovem; é uma área que, apesar dos variados e modernos avanços, continua a requerer uma focalização especial por também se encontrar em constante mudança; é uma área onde existe uma potencial satisfatório dos resultados de medidas de intervenção pública,  junto da população, quando são utilizados mecanismos e ferramentas típicos da área de Saúde Pública.

O que é a saúde sexual e reprodutiva?

O conceito de Direitos e Saúde Sexual e Reprodutiva (SSR), cunhado em 1994 na Conferência do Cairo refere-se a um estado de bem-estar completo a nível físico, mental e social (não somente a ausência de doença) no que diz respeito à vida sexual e reprodutiva. 
Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a sexualidade abrange diversos aspetos da experiência humana: as diferenças biológicas entre mulheres e homens, as identidades e papéis de género, a orientação sexual, o erotismo, o prazer, a intimidade e a reprodução. Esta trata-se de um aspeto central da experiência humana ao longo da vida que, apesar das várias definições, resiste a que se fixe uma designação universal. É constante a presença do género e da sexualidade na nossa história pessoal e na maneira como estamos com quem nos rodeia. Associado a estas duas dimensões surge a SSR e com ela a necessidade de (in)formar os estudantes da NMS | FCM e providenciar as ferramentas necessárias para que como cidadãos, jovens ativos e futuros profissionais de saúde sejam modelos positivos na intervenção na comunidade enquanto educadores e promotores de saúde neste âmbito.
Procurando alcançar este objetivo propomo-nos a desenvolver projetos e atividades que permitam a interação entre os Estudantes de Medicina e a população geral, para que estes se tornem mais aptos para um futuro contacto com os seus pacientes sensibilizando a população com o intuito de a tornar mais informada, inclusiva e capaz de viver uma sexualidade saudável.

O que está a ser feito?

Ação "Diz não a uma seringa em segunda mão"

Entre 26 de março e 11 de abril, a AEFCM colaborou com a DGS para a participação no programa “Diz não a uma seringa em segunda mão.” Após a abertura de um período de inscrições para que os alunos interessados demonstrassem a sua vontade em ser voluntário neste programa, a AEFCM e os voluntários contactados dirigiram-se ao Bairro 6 de Maio na Amadora para realizar esta ação. Como o nome indica, este é um programa que visa a realização de intervenções diretas nas comunidades para alertar para o perigo da reutilização de seringas e da sua partilha entre individuos.

rastreio de infeções sexualmente transmissíveis

No dia 21 de março,  dia em que a AEFCM realizou em simultâneo uma ação de recolha de dádivas de sangue, foi providenciada à comunidade da NMS | FCM a possibilidade de realizar testes de rastreio de infeções sexualmente transmissível. Tal ação foi possível através da colaboração com o GAT – Espaço Intendente, que marcou presença nas instalações da faculdade para a realização de rastreios de HIV, sífilis, Hepatite B e Hepatite C.
As condições de anonimato foram asseguradas, de forma a garantir as circunstâncias ideias para a adesão aos rastreios e evitar que possíveis fatores sociais se assumissem como um obstáculo. Além disso, a atividade foi realizada de forma completamente gratuita para os participantes, sem necessidade de inscrição.
Caso não tenhas tido a oportunidade para realizar os rastreios no dia 21 de março, podes contactar  diretamente o GAT – Espaço Intendente para realizar os testes acima mencionados. Para tal:
– Tlm: 919 613 092 (inclui WhatsApp)
– E-mail: espaço.intendente@gatportugal.org
– m.me/GAT.Espaço.Intendente (Facebook Messenger)

Dia mundial contra a homofobia
Sessão de cinema "milk"

Para celebrar o Dia Mundial Contra a Homofobia, no dia 17 de março, a AEFCM convidou todos os alunos para assistir à passagem do filme “Milk” na sede da AEFCM. O filme de 2008, que é baseado na vida do político e ativista gay Harvey Milk, foi galardoado com os prémios Óscar de Melhor Ator e Melhor Argumento Original

A sessão de cinema foi gratuita, aberta a todos os estudantes (e com oferta de pipocas!).

Palestra "O Sexo do Cérebro" | 12 de Março

O abuso sexual de mulheres, infelizmente, ainda é muito prevalente. No entanto, no que concerne o abuso sexual de homens, seja por vergonha ou receio, não é tão falado. Dessa forma, foi intuito da organização deste sessão de esclarecimento providenciar uma excelente oportunidade para aprender um pouco mais sobre esta temática! O evento, que decorreu no dia 12 de Março às 15h30, foi de admissão gratuita e aberto a toda a comunidade NMS | FCM

Para garantir a inclusão de informação proveniente de uma fonte fidedigna e com conhecimento de causa,  esta ação de sensibilização foi planeada em colaboração com a Associação “Quebrar o silêncio”, que dá apoio a homens que foram vítimas de abusos sexuais.

Palestra "Dá Esperança à Vida" | 14 de Maio

No dia 14 de maio, às 18h30, a campanha Dá Vida à Esperança foi até à NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas para uma palestra que pretendeu prestar informações e esclarecer dúvidas sobre o doação de óvulos e espermatozoides! Foram também abordadas as técnicas de procriação medicamente assistida.

Contámos com a presença do Dr. Luis Vicente, médico ginecologista especializado na área da Medicina da Reprodução e Vice-Presidente da Direcção da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução.

Palestra "O Sexo do Cérebro" | 8 de Abril

O Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva apresenta-te a palestra “O Sexo do Cérebro – bases neurobiológicas da sexualidade humana”, que abordou esta temática interessantíssima e relevante na formação de um melhor médico e cidadão.

O orador foi o Prof. Dr. Nuno Monteiro Pereira.